sábado, 18 de fevereiro de 2012

O medo de expressar-se?

6 Comentários

O maior erro que você pode cometer,
é o de ficar o tempo todo com medo de cometer algum.
Desconhecido

Olá Pessoal! Como começou o ano?

Depois de um bom tempo sem postar hoje vou conversar com vocês sobre o medo de se expressar, de dizer sua opinião. A ideia de escrever sobre esse assunto surgiu depois que li uma crônica chamada “O Medo, o Espelho, o Reflexo e o Café” escrita por Eduardo Engelmann em 26 outubro de 2011 e postada no Clube do Designer.

Na Crônica, Engelman faz uma reflexão a cerca dos motivos que impedem as pessoas de opinarem, ou melhor, lançarem (neste caso, escreverem) suas ideias e pensamentos sobre temas abordados em blogs, perfis, etc. Mas o que levou o autor escrever sobre esse assunto?

Na época em que foi escrita, o clube do designer, tinha lançando um concurso de opinião sobre a nova identidade visual do clube. No entanto, apesar de um número significativo de visualizações foi contabilizado apenas cinco comentários. 

Quando vi os argumentos me perguntei, eu tenho medo de expressar minhas opiniões? A resposta: pavor, terror... não sei mais que palavras usar para dizer o grau de medo que tenho de escrever minhas opiniões nos blog, de dizer se aprovei ou desaprovei, algum comentário parabenizando, etc. 

No entanto, esse é um problema que atinge não só as pessoas no mundo virtual. O medo de se expressar nos prejudica em nossos relacionamentos (tanto na vida pessoal, como na vida profissional). O que nos aflige é a seguinte questão: O que vão pensar de mim? Acho que é besteira. É por essas e outras perguntas que os auditórios ficam lotados nos cursos de oratória.

Esse pavor, esse medo de falar, de escrever em público atinge a maioria das pessoas em nossa sociedade. Um exemplo disso, é que muitas pessoas se sentem incapaz de escrever seus trabalhos de conclusão de curso, de escrever uma carta para pessoa, de criar currículo, de escrever um relatório, de ler um texto em voz alta, de recitar um poema, porque? Não tenho essas respostas, mas posso lançar algumas opiniões. 

Acho que boa parte dos nossos medos teve origem na infância ou de um trauma que tivemos em nossas vidas. Desta forma, penso que esse pavor que muitos sentem é fruto de experiências desagradáveis. Por exemplo: 
  • Medo de expressar opiniões em uma postagem (de um blog qualquer) porque sempre que dizia alguma coisa em casa (ou na escola, turma de amigo) outras pessoas interrompiam dizendo que eram burros, bobos, brigavam, mandavam calar a boca.
  • Medo de escrever uma opinião porque escreveu errado e a professora o corrigiu asperamente, etc.

Acho que tais experiências podem ter acontecidos com colegas nossos e por presenciar a humilhação decidimos não passar por isso. Mas, as causas não se resumem a momentos ruins.
  • Talvez a escola não incentivou a criatividade ou o pensamento critico.
  • Não houve estímulos para expressar pensamento, criar histórias, dizer opinião.

Isso são só opiniões, eu só sei que para ser hoje uma blogueira iniciante, tive que vencer meus medos. Conto um segredo para vocês, meus amigos ainda não sabem da existência dele. Acho que não vão saber tão cedo. 

Para não esvaziar a bonita reflexão da crônica, vou parar por aqui e deixo vocês com o meu trecho preferido do texto.

Por que estou escrevendo isso, se não sei nada de psicologia?Porque todos nós temos o período de maturação. Não se colhe café antes que sua cor mude de verde para vermelho. Quando isso é feito, o café perde o melhor, perde o sabor. Depois da colheita, joga-se o café no terreiro para que os grãos sequem. E o mesmo processo da colheita, se repete novamente, a dança da peneira.[...]Então fiquei aqui pensando: Por que as pessoas não opinam? Por que não assoprar as ideias como fazemos na colheita do café? No processo o objetivo é remover as folhas e ficar com os grãos, mas no processo, sempre alguns grãos também vão para o chão. Ocorre o medo de se expor? Ou o medo de ferir alguém?Ah, tá, o medo de perder alguns grãos preciosos.Ah, tá! Democracia e direitos. Opino se eu quiser, é um direito meu. OK!


Depois dessa pequena reflexão, pergunto para você: O que te impede de expressar suas opiniões? Deixe um comentário. 

Eu fico por aqui confessando: meu maior medo de escrever em público é errar o português e as pessoas me corrigem de forma grosseira.  

Inté, povo!